segunda-feira, 29 de junho de 2015

Meu cão é meu irmão: A humanização dos animais


Série Ensaios: Ética Animal

Por: Debora de Freitas Barbosa

Acadêmica do Curso de Especialização em Conservação da Natureza e Educação Ambiental

 

“Cecy Passos, 40, é dona e empresária da gata Nikole. A bichana de 10 anos tem uma carreira de colocar inveja. Assina linha de produtos felinos, abre desfiles de moda, tem site e seguidores no Twitter e é comparada a Gisele Bündchen do mundo felino”.

Cada vez mais as famílias dão destaque aos seus cães e gatos. O tratamento que antes os limitava a animais de estimação agora sobe para um patamar de membro integrante da família e não é apenas o título, tudo está mudando. A alimentação antes limitada à rações convencionais está sendo complementada com uma gama de cores, sabores, vegetarianas e até light para o controle do peso. O seu guarda-roupa está repleto de trajes, adereços, perfumes, cosméticos e sapatinhos. Segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população de cachorros em 2013 nos domicílios brasileiros superou em mais de duas vezes a de gatos. Há 52,2 milhões de cães e 22,1 milhões de gatos. Os habitantes da Região Sul são os que mais criam cachorros no país, com 58,6% dos domicílios tendo ao menos um animal. O Paraná com 60,1% é o estado que lidera o ranking de domicílios com cachorros. Já em 2014 a ABINPET (2014) divulgou que o Brasil possui cerca de 100 milhões de pets. Vendo isso como oportunidade, o segmento pet e veterinário faturaram cerca de 16 bilhões de reais só no ano passado. Basta uma rápida pesquisa para encontrar diversos estabelecimentos que oferecem tratamento diferenciado aos pets, como por exemplo: sessões de massagem, hidratação do pelo, banho de ofurô relaxante, petiscos diferenciados, academia para perda de peso, entre outros. Algumas pessoas podem se perguntar: Há algum mal nisso?

Existem diversas implicações éticas por detrás desse cuidado excessivo com os animais de estimação que englobam as diversas “nuances” da biofilia. Dentro desse excesso de tratos com os animais, podemos observar desde a humanização até casos de zoofilia. O próprio ser humano sofre uma perda quando passa a idealizar uma relação de amor com os animais e espera que eles se comportem como seres humanos. O contato com animais de estimação certamente supre carências afetivas e emocionais, mas essa alegria não deve substituir as relações humanas na vida das pessoas.  Os animais estão sofrendo um processo denominado antropomorfização, ou seja, graças ao tratamento e cuidado exagerado que os animais recebem, eles estão assumindo características restritas aos seres humanos. As pessoas estão atribuindo características e sentimentos ao animal que lentamente perde sua identidade e apresenta comportamento agressivo e antissocial quando próximo a outros animais, dependência, carência, ciúmes, além de diversas doenças antes restritas aos seres humanos.

Eu como bióloga acredito que o problema não está em chamar os animais de filho ou dar algumas regalias, mas sim em projetar ao cão a imagem e semelhança do ser humano. Podemos observar que os animais estão exibindo cada dia mais problemas de saúde idênticos aos que os seres humanos apresentam como neuroses, depressão, ansiedade e obesidade e isso é algo totalmente diferente a natureza deles. Para que o animal viva feliz e saudável precisamos apenas proporcionar uma boa alimentação, atividades físicas, um ambiente saudável e visitas ao veterinário, e companheirismo. O animal não necessita de roupas caras, perfumes, ir a desfiles de moda e pratos gourmet, o animal necessita apenas ser amado.

 

O Presente Ensaio foi elaborado para disciplina de Ética no uso de Animais e Bem-estar animal, tendo como base as seguintes referências:
Borges, F. F. (2015) Os perigos das humanização de animais. Reportagem disponível em: http://jornalismocontemporaneofernandafb.blogspot.com.br/2015/04/humanizacao-de-animais-ate-onde-vamos.html
Cavalcante, J. C. S. (2013) A humanização dos animais. Reportagem disponível em: http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/a-humanizacao-dos-animais/269110
Domingues, A. (2013) “Humanização” dos animais deve ser evitada. Reportagem disponível em: http://www.petrede.com.br/2013/animais/humanização-dos-animais-deve-ser-evitada/
Lisboa, V. (2015) IBGE: Para cada gato doméstico, brasileiros têm dois cachorros de estimação. Reportagem disponível em: http://www.brasilpost.com.br/2015/06/02/ibge-pets_n_7493290.html
Oliveira, K. M. (2009) Os perigos da humanização de animais. Reportagem disponível em: http://www.fiamfaam.br/momento/?pg=leitura&id=1558&cat=1
Sacchi, T. (2013) A humanização dos animais de estimação. Reportagem disponível em: http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2013/03/cbn_vitoria/comentaristas/tatia
na_sacchi/1417740-a-humanizacao-dos-animais-de-estimacao.html

Vines, J. (2010) Especialistas alertam sobre tratamento humanizado aos animais de estimação. Reportagem disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/bichos/810119-especialistas-alertam-sobre-tratamento-humanizado-aos-animais-de-estimacao.shtml

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário