domingo, 19 de abril de 2009

Emoções – nossa fonte de “descontrole “?


Nas próximas semanas eu e os alunos de psicologia e biologia estaremos discutindo emoções, sentimentos e consciência nos animais. Por isso vou priorizar textos sobre esses temas. De início sugiro a leitura do livro “Inteligência emocional” de Daniel Goleman, segundo o autor as emoções e sentimentos foram muito tempo negligenciadas de estudos científicos, porém atualmente a aquisição de novas tecnologias tem nos permitido mapear no cérebro as regiões responsáveis pelas emoções e suas ações em todo o corpo.

As emoções representam o lado “irracional” do homem, ou melhor, o seu lado “animal”. Elas foram moldadas pela natureza para permitir uma resposta rápida para garantir a sobrevivência do animal e automaticamente da espécie. Seundo Goelman, “o impulso é o veículo da emoção; a semente de todo impulso é um sentimento explodindo para expressar-se em ação. Os que estão à mercê dos impulsos – os que não têm auto-controle – sofrem de uma deficiência moral. A capacidade de controlar os impulsos é a base da força de vontade e do caráter” e esse é o grande desafio do homem: controlar suas emoções. Códigos morais e éticos têm como meta conter o excesso emocional, e essa tentativa é tão antiga que já pode ser vista nos dez mandamentos dos Hebreus.

No entanto apesar das pressões sociais, as paixões muitas vezes solapam a razão, pois o plano biológico do nosso cérebro, em termos de circuitos neurais, trazem uma herança genética de 50.000 gerações. Apesar de termos criados padrões culturais e aumentado muito em número nossos corpos continuam reagindo como se estivesse no tempo das cavernas. A raiva instantânea que antes era fundamental para sobrevivência, atualmente se invade uma criança que tem a seu alcance uma arma , pode resultar numa catástrofe.

Pretendo nos próximos textos traçar um panorama das emoções e sua visão etologia, ao conhecermos suas raízes e estímulos desencadeadores ficará mais fácil vive-la biologicamente, adaptando-as aos nossos tempos. Convido aos alunos que deixem aqui suas idéias a respeito desses temas, pois serão muito importantes para todos.

Um comentário:

  1. Amanda Weber Cavalero30 de abril de 2009 16:40

    Creio que considerar as emoções unicamente como prejudiciais ou "descontroladoras" é um equívoco. Quando bem controlada ela é fonte,também, de prazer e consequente bem-estar.
    Imaginar o homem sem emoções é como imaginar o mar sem movimento. Não faz sentido.

    ResponderExcluir